FOLHA DA CIDADE 22 ANOS INFORMANDO DE FORMA DIRETA...

VENHA ECONOMIZAR COM A GENTE

VENHA ECONOMIZAR COM A GENTE

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Por falta de segurança, sacoleiros de vários estados ameaçam deixar de comprar no Polo de Confecções




foto-principal

Pelo menos 10 assaltos a sulanqueiros foram registrados nas últimas semanas – Fotos: Thonny Hill e Lima Junior
Nesta segunda-feira (17) o Polo de Confecções de Pernambuco está sendo marcado, mais uma vez, pela insegurança que assola suas estradas, onde mais um ônibus com sacoleiros, desta vez do estado da Bahia, foi alvo de bandidos armados.
Nas últimas semanas, pelo menos 10 ocorrências foram registradas, especialmente nas estradas do entorno do Polo de Confecções, fora outras em estradas de estados como Rio Grande no Norte, Paraíba, Sergipe e Bahia.
A tentativa de assalto aconteceu ainda na noite de domingo (16), por volta das 21h30 quando o ônibus, com 35 sacoleiros vindo da cidade de Irecê, foi abordado por uma quadrilha composta de cinco criminosos armados, que estavam em uma pick-up.
.
onibus-02
onibus-03
onibus-04
O relato chocante de uma vítima
De acordo com informações repassadas pelo motorista, Tony Erickson Leite dos Santos, e também por um dos seguranças que estavam no veículo, os criminosos emparelharam com o ônibus e já chegaram atirando. Emocionado, o motorista relatou os momentos de terror que passou.
.
motorista-02
Motorista foi atingido de raspão na cabeça

“Eles já chegaram atirando. Tinha um policial de carona. Ele reagiu, os bandidos também reagiram e acabaram baleando o policial, me atingiram (de raspão) na cabeça e também balearam um passageiro.  Tem 21 dias que eu fui assaltado… Vou deixar de rodar para cá. Essa é a minha última viagem. Foi uns 20 minutos… Eu escutei mandando parar, atirando no carro… Atiraram em um rapaz pra matar… Por sorte, vinha ele e mais outro que eu nem sabia que era policial… Reagiram e, infelizmente, (um) foi baleado. Eu levei um tiro na cabeça e a reação que tive foi só de ficar pensando na família. Minha família falou para que eu não venha mais. Em Pernambuco, não temos segurança. Balearam meu braço e agora passar por uma situação como essa… Vou ter que parar. O pessoal está assustado, não querem fazer mais compras aqui e querem rodar para outros estados” – disse.

Na ação criminosa, o ônibus chegou a perder o controle e cair em uma ribanceira. De acordo com testemunhas, criminosos fizeram o retorno e voltaram pela outra via da pista e a troca de tiros continuou. Por sorte, os demais ocupantes não se feriram. Nada foi levado na ação criminosa.
.
motorista-03
Marcas da violência (manchas de sangue) também ficaram nas roupas do motorista
Tentaram ajudar, mas foram recebidos a bala
Outro fato que chamou a atenção é que outro grupo de sacoleiros, que também vinha em direção a Santa Cruz, percebeu que o ônibus estava caído na ribanceira e, ao parar tentar ajudar, também foi recebido a bala. As guias de excursão da cidade de Salvador, Taty Casaes e Eliana Batista, também falaram sobre a situação.
guia-01

“Paramos na intenção de dar uma ajuda porém, já vinha uma pessoa que já estava baleada ao nosso encontro para que pudéssemos socorrer, mas fomos surpreendidos por tiros. Os nossos motoristas deram providência em ligar logo o ônibus e sair correndo. Infelizmente não deu para continuarmos o socorro porque nosso ônibus foi atingindo. Mais de 40 pessoas ficaram em pânico, pegamos a estrada e fomos adiante, até chegarmos a Toritama. Viemos sempre com medo, em comboios, porque sabemos que toda semana tem ocorrido assaltos” – disse Taty.

guia-02

“Estamos pedindo para nos socorrer, porque não sabemos mais o que fazer. Cada ônibus que é assaltado ali é um dinheiro que não vai ser posto aqui. Vai fazer falta. Muita gente está desistindo de comprar, não vai vir mais pra cá. Estão preferindo comprar em Fortaleza (CE) ou em Goiânia (GO) já por conta do medo, da insegurança. Estamos tendo muito prejuízo. Esse dinheiro era para gerar aqui e está sendo tomado por causa da insegurança. Estamos pedindo por socorro. Para continuar vindo para cá, precisamos de segurança” – pontuou Eliana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário