FOLHA DA CIDADE 22 ANOS INFORMANDO DE FORMA DIRETA...

VENHA ECONOMIZAR COM A GENTE

VENHA ECONOMIZAR COM A GENTE

domingo, 12 de julho de 2015

VEREADOR FÁBIO ARAÚJO FALA SOBRE O ARQUIVAMENTO DO PROCESSO DE CASSAÇÃO DO PREFEITO DE TORITAMA


 Durante a manhã da última sexta-feira (10), o vereador Fábio Araújo (PSDB) esteve falando na Rádio Líder FM sobre o arquivamento do processo de cassação do prefeito de Toritama, Odon Ferreira (PSB).
 O Parlamentar fez questão de lembrar que a cidade vivenciou um dia especial, marcante e histórico. 
 “Foi um momento decisivo, quanto aos rumos do nosso município. Quando eles falam que nós fomos pelo lado pessoal e que aquilo era uma perseguição de cunho particular, são inverdades ou no mínimo certo desespero de quem está com a consciência pesada e não tem o que de fato dizer a nossa população”.
 O Vereador Fábio ainda afirmou que em nenhum momento, os vereadores que votaram favorável a cassação agiram por perseguição politica, como foi dito pelos vereadores que dão sustentação a base governista.
 “Isso não é verdade, agimos em conformidade com a Lei. Se eles não se lembram do nosso papel naquela casa, é de fiscalizar as ações publicas, como também, criarmos Leis e fazer vale-las, como assim o fizemos”, garantiu. 
 Rebatendo os vereadores governistas que afirmam que o processo não tinha nenhum fundamento, que os altos do processo eram vagos e os consideram fútil. Fábio disse que se fosse tão simples não precisaria que o prefeito Odon contratasse um corpo de advogados para lhe defender.
 “Volto a afirmar que tenho os meus princípios, tenho as minhas opiniões formadas. Desde quando aceitei o desafio e deixei de ser uma pessoa apenas de família e de comércio, e me tornei publico, foi para fazer valer as leis, e acima de tudo, a vontade da maioria desse povo tão trabalhador, que é o povo toritamense”.
 O Vereador Fábio Araújo ainda relatou que diante do que foi apurado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) ficou comprovado que houve irregularidades, com base até mesmo na fala do Chefe do Executivo, quando afirma ter infringido a Lei, se enquadrando ao processo de Improbidade Administrativa.
 “Diante disso chegamos á conclusão de que o correto era por em prática o processo de investigação e se comprovado fosse para a votação da cassação do chefe do executivo local, ou não”.
Do: Blog Agreste Notícia Fonte: Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário